12/01/16

Agressão? Só no DayTrade!


O Ichimoku é baseado em 3 fundamentos da Análise Técnica: tendência, suporte&resistência e momentum. Para quem opera DayTrade, o momentum é particularmente importante como sinalização de entrada na operação. O momentum pode ser observado através do movimento das médias Tenkan e Kijun (cruzamento e inclinação) e também pelo rompimento de suportes e resistências.

Mas também pode ser observado e geralmente com alguma antecedência, pelo movimento definido pelo corpo do candle. A figura identificada pelo nome de “marubozu” é um bom exemplo de padrão de momentum. Peguei carona no “marubozu” e defini uma regra para identificar o momentum baseado apenas no corpo do candle. O momentum (de alta ou de baixa) ocorre quando o corpo atual é maior que 2 vezes a média dos últimos 9 candles (usei o período da Tenkan). Este momentum identificado por um único candle também pode ser chamado de “agressão”. Ele representa a tentativa de um “player” relevante (“tubarão”?) de iniciar um movimento (ou “perna”) de alta ou de baixa.

A sinalização de saída da operação depende da força da tendência. Se a tendência for forte, seja agressivo, procure manter a posição até o StopGain, ou até ocorrer uma forte sinalização de inversão da tendência. Se a tendência for fraca seja mais conservador, realize se o lucro já for significativo ou se ocorrer qualquer sinal contrário à tendência. A tendência é forte quando o Ichimoku é altista ou baixista nos 2 gráficos, caso contrário considere a saída conservadora.
O primeiro pregão do ano (WDOG16) foi bastante movimentado e também um ótimo exemplo de entradas baseadas na “agressão” e saídas baseadas na força da tendência. Veja o vídeo.

12/09/15

Flight Simulator ou Simulador DayTrader?

Aprender a operar DayTrade é um processo prático: aprender fazendo, por tentativa e erro.
Nada substitui o aprendizado da prática real mas o simulador é a forma de treinamento que mais se aproxima da realidade, além de alavancar o tempo de aprendizado. O simulador também permite uma rápida avaliação de sua performance baseada no histórico das simulações, informação fundamental para definir o tamanho e o risco de suas operações no trade real.
O simulador utiliza o método Ichimoku, indicador que incorpora os principais fundamentos da Análise Técnica: Tendência, Suporte/Resistência e Momentum. O Ichimoku é muito popular no Japão e praticado internacionalmente nos mercados de FOREX (moedas) e contratos futuros de índices.

O simulador é um software desenvolvido na planilha Excel (com macros VBA), possui uma interface com gráficos Ichimoku de 10 e 2 minutos, uma planilha com o registro detalhado de todos os seus  trades e um banco de dados com 100 games (pregões reais na íntegra!) de Índice e Dólar (inclui 10 games comentados!). Veja mais detalhes no vídeo demo.

Quem utiliza o simulador participa da comunidade Ichimoku DayTrader: um fórum exclusivo para compartilhar dúvidas e experiências, acessar vídeos com análises e tutoriais.

Um atleta de alta performance investe muito mais tempo no treinamento do que no jogo real. No mercado super competitivo dos minicontratos o simulador é o instrumento mais eficaz para o seu treinamento!

Flight Simulator ou Simulador DayTrader? Não importa, o aprendizado (e a diversão!) é uma garantia nos dois casos!

O Simulador é parte integrante do programa de treinamento do método Ichimoku; mais informações na página Curso Virtual.
Acompanhe a publicação diária da simulação do pregão do Dólar ou Índice (com comentários) no meu canal do YouTube.



01/06/15

Para que serve um "Trading System"?

A aula 7 do Curso Virtual apresentou um sistema mecânico ("trading system") para o gráfico de 10 minutos do minicontrato Ibovespa. O resultado do "backtest" apresentou um lucro expressivo e consistente, uma evidência da eficácia do método Ichimoku. Hoje, aproximadamente um ano após a publicação da aula 7, apresento uma nova simulação, desta vez com o gráfico de 2 minutos. Não houve alteração significativa nas regras de entrada e saída das operações (muito simples); apenas um pequeno ajuste na regra de entrada. A regra de entrada procura captar o padrão de "momentum" através do posicionamento das médias Tenka e Kijun (cruzamento e inclinação). A novidade foi a inclusão de um padrão que relaciona o preço (posicionamento e tamanho do candle) com as médias Tenkan e Kijun. A regra de saída (cruzamento Preço x Kijun) e o "Stop" (0,5%) foram preservados. Veja na figura ao lado o detalhamento da regra de entrada e saída da Compra; a regra de entrada e saída da Venda é exatamente simétrica à da Compra.
O resultado do novo "backtest" evidencia os pontos positivos e negativos da aplicação do método Ichimoku para as operações de "daytrade". A estratégia básica foi validada novamente, mas é preciso fazer ajustes (método discricionário) para viabilizar a sua aplicação prática.

A simulação começou com um Capital Inicial de R$ 20.0000,00; entretanto o montante aplicado em cada "daytrade" sempre foi de apenas 5% do capital (definido em função de um perfil de risco), ou seja, a aplicação inicial foi de R$ 1.000,00 e correspondeu a uma operação com 4 minicontratos. À medida que o capital aumentou ou diminuiu, o sistema ajustou automaticamente o tamanho da posição (número de contratos negociados). A simulação começou no pregão de 18/08/2014 e terminou em 28/05/2015 (8 contratos) com Lucro Líquido de R$ 14.761,60 e um retorno de 73,81% (103,91% ao ano). Foram realizadas 649 operações de "daytrade" (média de 3 operações por pregão). O percentual de operações ganhadoras foi de 39,51%, ou seja, a cada 10 operações, 6 foram perdedoras; "infelizmente" esta é uma característica dos sistemas seguidores de tendência. Entretanto a estratégia é vencedora porque o ganho médio é muito superior à perda média, como poderemos constatar na próxima tabela. Observe que a curva da evolução do capital (cor verde) apesar de positiva durante toda a simulação não é consistente, pois há muitas perdas nos períodos de mercado sem tendência.

O ganho médio por operação foi de +0,48% contra uma perda média de -0,23%, ou seja, o ganho médio foi o dobro da perda média. Esta é apenas uma informação estatística que resulta em lucro após um grande número de operações. Na prática é importante procurar obter ganhos bem maiores que a média e ao mesmo tempo limitar o tamanho das perdas que ocorrem com maior frequência que os ganhos. Esta estratégia resulta em ganhos de até 6 vezes o "ganho médio" como podemos observar na tabela ao lado (+3,00%). Por outro lado a maior perda é limitada ao "StopLoss" de -0,5% (entre 250 e 300 pontos); pode parecer um limite alto, mas lembre que o valor do "Stop" deve considerar as oscilações normais que ocorrem durante uma tendência. As operações ganhadoras tem uma duração média de 34 candles (68 minutos - pouco mais de uma hora), enquanto as perdedoras tem a duração média de 10 candles (20 minutos); uma evidência da estratégia seguidora de tendência. Observe também que o tempo fora do mercado (38.722 candles) é 3 vezes maior que o tempo posicionado (13.117 candles); o sistema só fica posicionado quando há evidência de uma tendência, o que ocorre em média apenas 1/3 do período de cada pregão.


A regra de saída (Preço x Kijun) é simples e teoricamente justificada; afinal a média Kijun é uma importante referência de suporte ou resistência, o seu rompimento é uma forte sinalização de final da tendência. Entretanto o item "Exit Efficiency" (tabela ao lado) mostra que os ganhos obtidos representam apenas 13,7% do ganho potencial; é uma indicação de um nível expressivo de "devolução dos lucros" ou mesmo a inversão de situações de lucro para perda. Por outro lado esta regra também viabiliza os lucros expressivos, muito além da média. Não é fácil substituir esta regra; por exemplo, a utilização do rompimento da média Tenkan como regra de saída, piora sobremaneira o resultado. A solução deve ser desenvolvida pelo método discricionário. O "Stop" de 0,5% parece adequado em termos da frequência em que é acionado, apenas em 5,9% das operações; entretanto a prática do "Stop Móvel" pode melhorar a "eficiência da saída".Outra característica de um sistema seguidor de tendência é o número elevado de operações consecutivas com perda (máximo de 10); a pressão psicológica é enorme, mesmo que o nível das perdas seja pequeno.

A figura ao lado mostra uma pequena parte (as operações mais recentes) de um dos vários relatórios fornecido pelo software "Trading Solutions" (observe que foi aplicada uma corretagem de R$ 1,00 por contrato). As informações estatísticas podem ser exportadas para o Excel, onde é possível fazer outros cálculos de uma forma ainda mais flexível. Enfim, o computador pode e deve ser utilizado como um instrumento de auxílio ao trader; não apenas para operar, mas principalmente para ajudar a desenvolver e testar as suas estratégias. Sou adepto da ideia de uma integração homem-máquina; a máquina calcula, o homem pensa. Entretanto como já havia comentado na aula 8 do Curso Virtual, as operações simuladas e os seus resultados refletem apenas parte da realidade. Devido a questões operacionais, é impossível reproduzir na prática o mesmo resultado do "backtest". Entretanto quando um sistema utiliza regras simples de entrada e saída, é possível obter uma performance muito próxima da simulação; as diferenças operacionais, a favor e contra, acabam se compensando ao longo do tempo. Difícil mesmo é seguir um sistema que apresenta uma média de operações ganhadoras abaixo de 50%, e que pode resultar em uma sequência de 10 operações consecutivas de perda. Para mim, a simulação tem o mérito de testar idéias e estratégias, que podem ser validadas através da estatística. A consequência natural é a aquisição de maior conhecimento e confiança no seu método e também a oportunidade de uma aplicação mais flexível (e intuitiva) no método discricionário.

Declaração do Analista de Valores Mobiliários
Nos termos do art. 17 da ICVM 483, Eduardo Matsura, responsável pela elaboração deste relatório, declara que as recomendações contidas neste refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônomaAviso As indicações de compra ou venda são o resultado de uma avaliação subjetiva. O investidor deve tomar as suas próprias decisões de acordo com o seu perfil de risco e assumir toda a responsabilidade.

19/05/15

Venda, sem moderação!

Os dois últimos pregões apresentaram excelentes oportunidades para as operações de venda. Ganhar na venda pode ser "menos difícil" do que ganhar na compra. O processo de venda geralmente é mais consistente, ou seja, mais bem comportado. Observe nos gráficos abaixo, o comportamento do preço em relação às médias Tenkan e Kijun. Na venda estas médias são referência de resistência, e geralmente a tendência é retomada a partir destas médias; uma nova oportunidade para vender, aumentar a posição de venda, ou simplesmente manter a venda. E manter a venda até um eventual rompimento (fechamento) acima da Kijun pode ser a melhor estratégia (esta regra de saída resultou no excelente desempenho do "trading system" - aula 7 do curso virtual).

Mas sempre tem o lado emocional que pressiona e precipita a saída, seja após um pequeno revés ou após um pequeno ganho. Se a tendência está a nosso favor e as principais referências de resistência não foram violadas (e especialmente não fomos "stopados"!), a chance de retomada da tendência ainda é grande. Mas cada um tem o "seu preço", ou melhor, cada um tem o seu nível de lucro que satisfaz. Mas convenhamos, a verdade pura e simples é o nosso medo de devolver os ganhos, mesmo que não exista uma evidência significativa de inversão da tendência; afinal não há certeza de nada, tudo pode acontecer (não deixa de ser verdade, mas qual é a probabilidade?).

Em uma estratégia seguidora de tendência, como o método Ichimoku, é fundamental reconhecer as oportunidades de ganhos expressivos, aquelas bem acima da média. São estes ganhos expressivos que compensam as muitas pequenas perdas, e são o "fiel da balança" no longo prazo. Tão importante quanto a técnica, é desenvolver o aspecto emocional do "trade"; um bom começo é "sentar sobre as mãos", aguentar firme e acreditar na força da tendência. Os dois primeiros pregões desta semana são um exemplo e uma motivação para desenvolver a "postura correta" de um "seguidor de tendência".

Declaração do Analista de Valores Mobiliários
Nos termos do art. 17 da ICVM 483, Eduardo Matsura, responsável pela elaboração deste relatório, declara que as recomendações contidas neste refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônomaAviso As indicações de compra ou venda são o resultado de uma avaliação subjetiva. O investidor deve tomar as suas próprias decisões de acordo com o seu perfil de risco e assumir toda a responsabilidade.

08/05/15

Ichimoku DayTrader - Conclusão

O novo Curso Virtual finalmente ficou pronto! É um produto da evolução gradual da prática do Ichimoku em operações de daytrade (minicontratos Ibovespa). As aulas do curso original formam mantidas e fazem parte do conteúdo teórico. O curso ganhou mais 10 aulas (práticas!) e agora é composto de 18 aulas (aprox. 12 horas) dividido em 3 partes:

A parte 1 apresenta os fundamentos da Análise Técnica (tendência, suporte e resistência, momentum) e a definição detalhada dos elementos e a “filosofia” do indicador ichimoku (a nuvem, as médias Tenkan e Kijun, a linha Chikou). São 6 vídeos (aulas 1 a 6) de aproximadamente 30 minutos cada; o objetivo é definir e explorar a aplicação prática dos elementos estratégicos e táticos que compõe a ferramenta Ichimoku. É recomendado (mas não imprescindível) um conhecimento básico de Análise Técnica (conteúdo inicial do livro “Comprar ou Vender?” ).

A parte 2 discute dois métodos de aplicação do Ichimoku para operações de daytrade com os minicontratos Ibovespa. A aula 7 (60min) apresenta detalhadamente um método mecânico ou “trading system”; o “backtest” mostra evidências estatísticas (mais de 700 operações) que validam a eficácia das principais “regras do Ichimoku”. A aula 8 (60min) apresenta um método discricionário de operação baseado em múltiplos tempos gráficos (60min, 10min e 2 min); a proposta é que o aluno adote o método discricionário.

A parte 3 é uma simulação “em tempo real” de 50 trades ao longo de 2 semanas de operação (2 a 13 de fevereiro de 2015). O objetivo é exercitar o “timing” de entrada e saída das operações; é a parte mais extensa do curso com um total de 10 aulas (aprox. 7 horas). Veja o vídeo de introdução.

Você não consegue manipular o mercado como o Gekko (foto), mas pode desenvolver a habilidade de seguir os seus passos e ganhar uma parte do quinhão. O curso alavanca o aprendizado e é um exemplo perfeito de uma opção assimétrica: risco pequeno e retorno potencial ilimitado. Vai perder esta oportunidade?

Após muitos contratempos terminei o projeto do novo curso virtual com foco no daytrade; a partir da próxima semana voltarei a atualizar o blog semanalmente.